terça-feira, 25 de novembro de 2008

confiança


Fazendo o almoço, e ela não chega...
A espectativa de sua chegada me deixa atento.
O som de sua buzina, o sorriso em meu rosto.
Mas que horas ela chegará?
Desde ontem a espero.
Nenhuma ligação, nenhum sinal de vida...
Será que ela viajou? Ou será que me esqueceu?
Liguei, ela disse que meio dia estaria em casa...
Esperei, esperei... E nada.
Dois dias que não a vejo...
Tenho saudade de antes, ela ficava comigo do acordar ao dormir.
Mas nesses dois dias não... Dormiu fora, Saiu sem avisar...
O que eu faço?
Já estou preocupado.
Dizem que notícia ruim chega rápido, então, nada de extraordinário acontecera.
Por quê ela não me liga?
Estou aflito sem sua presença.
A quero aqui para dizer o quanto a amo...
Fazê-la mulher do jeito que sempre gostou...
Beijá-la até a deixar sem fôlego...
Enfim... Para sermos felizes, como antes.
Não sei o que aconteceu, ou o que fiz.
Não sei se fiz algo errado que ela não tenho gostado.
É muito difícil homem se apaixonar...
Mas acho que sou um exceção.
Me apeguei a ela, somos apenas namorados, mas para mim, ela é a mulher da minha vida!
Espere... Ouço uma buzina... Será que é ela?
É! É ela!
Coração a mil por hora, mãos geladas, pernas tremendo, sorriso no rosto...
Ela já entrou com aquele ar de serenidade... E meus olhos completamente vidrados em sua face.
Não perguntei e nem vou perguntar o que ela estava fazendo durante esses dois dias.
Nada me importa, a não ser a presença dela em minha vida.

Nenhum comentário: