sábado, 28 de novembro de 2009

A Passagem















às vezes penso em fechar os olhos e nunca mais acordar,

não acho que consigo vencer o futuro,
responsabilidades que tenho que cumprir sem ao menos querer,
dor sem ferida, vergonha sem ocasiões, loucura com sanidade...

mas não consigo deixar tudo de lado por uma fraqueza qualquer,

então encontrarei forças, motivações para seguir em frente,

e da decadência chegarei ao ponto máximo da felicidade.

poema feito por: Neto Lima e Fabrícia Maciel

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

você gosta?













gostar.. um sentimento bem indeciso.

"gosto desse, gosto dessa, gosto daquela, gosto disso, gosto dele..."
que tal não gostarmos mais de nada?
não?
ou talvez, aprendêssemos a gostar do que realmente valha a pena.
que sugestão mais inútil essa minha!
mas é uma solução para sentimentos que não são recíprocos,
a ausência dessa troca, resulta o sofrimento.
... sendo assim, o que acha da minha sugestão logo acima?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

não sinto


não sou sensível ao toque, nem ao beijo, nem à dor.
você me abraça e o que sinto são apenas braços encostando em mim.
se você me beija, momentos depois, sinto como se nada tivesse acontecido.
e me bater? fique à vontade... dor não sentirei, garanto-lhe.
tente de tudo, e nada vai adiantar...
pois não sinto, apenas.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

des-espero.















e no meio dessa multidão não sei o que fazer.

pessoas esperam por algo que não começa,

gritos estridentes penetram nas entranhas dos meus ouvidos...

não aguento isso, preciso sair!

mas por onde sair?
se em todos os lados que olho, vejo milhares de pessoas desesperadas por algo que não tem começo e muito menos fim.

então, por aqui ficarei.

sem ter o que fazer, e sem saber o fim disto.

sábado, 14 de novembro de 2009

mais um no navio.


















mais uma vez, como sempre não dá certo.
lágrimas caem dos meus olhos, músicas me fazem chorar.
não suporto mais isso, vou parar com tudo, meu mundo vai parar.
tudo vai mudar, sentimentos não existirão mais.
nada que eu faço é valorizado, e quando é, não é do jeito que eu queria.
eu quero muito encontrar alguém que realmente me queira da mesma forma que eu quero.
com esses e mais motivos, é que eu me despeço do mundo dos apaixonados, do amor, de qualquer coisa que me deixe com frio na barriga, ou que acelere meu coração quando vejo um certo alguém.
boa sorte aos navegantes do navio da ilusão.
porque eu estou recebendo as boas vindas no navio dos desacreditados do amor.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

sou, nós.


sou uma poetisa, escrevo meus poemas a fim de demonstrar, desabafar o que sinto.
sou uma eterna apaixonada, sempre disposta em tentar te conquistar.
sou teimosa, não por pirraça, mas sim para chegar até o fim, mesmo que o cansaço seja insuportável.
sou feliz, pois tenho pessoas em minha vida que são indispensáveis, que têm o dom de fazer com que meu sorriso se torne mais feliz ainda.
sou triste, fico um mar de saudade, quando a falta dos que já se foram bate forte, machucando o peito.
sou uma verdadeira louca, gosto de dançar e rir sem motivo, de correr sem direção, pular, cantar, gritar.. e não ligo para o que vão pensar de mim.
sou uma simples garota, que entre tantas qualidades e defeitos, quer acima de tudo ser feliz, independente do lugar, da hora, do momento, do dinheiro, ou de qualquer outro bem material e imaterial que possa existir.
enfim, sou apenas uma pessoa que tenta se auto-descrever em versos baratos.

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

apenas vem.














meus olhos já eram seus, minha atenção já era sua, já te queria pra mim.

quando fiquei em seus braços, me senti leve, totalmente entregue.

ao som de uma simples banda, nós dançamos.

carinhos, beijos, abraços, brincadeiras, entre outras coisas, me fizeram ver que era você que eu tanto procurava para me fazer feliz.

não sei o quanto mede, nem tão pouco a duração, mas quero aproveitar enquanto é tempo.

não sou boa com rimas, mas neste pequeno verso, te peço:
vem pra mim?