domingo, 23 de dezembro de 2012

Bons tempos, bons ventos!
























Você me dá motivos e mais motivos para sermos cada vez mais felizes.
E isso me deixa sem motivos para me prender ao que um dia me fez mal.
Pois se tenho tanta coisa boa para viver ao lado seu, por quê hei perder tempo com coisas ruins?
Nós nos amamos, compartilhamos nossas vidas um com o outro, possuímos um companheirismo ímpar, somos um pro outro o que sempre sonhamos em encontrar.
O respeito que hoje eu recebo de ti, me fez perceber o quanto estava sendo boba em certas coisas ultimamente. Afinal, demora pra cair a ficha, e quando cai é assim, uma calmaria imensa passou a me envolver, meus passos ficaram mais firmes e minhas mãos mais seguras junto às tuas.
Bons ventos estão trazendo a tranquilidade! E as janelas de minha alma abertas estão para tamanha bonança para nós, nosso mundo, nossa cidade.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Normal, né.















Os dias vão passando,
e tudo está bem.
Você nem percebe quando foi a última vez.

A última vez que te fizeram uma surpresa,
que te abriram o dia com uma simples demonstração seja onde for!
Mas quando acontece uma pequena coisa ruim, apenas uma pequenina...
Você sente falta.

E dói.
E passa.
Depois?
Acostuma.

E você? Volta a não perceber.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Só pra te ver, meu bem.



















A minha vontade é de correr até sua casa,
para ardermos em brasa,
e voarmos até as nuvens mesmo sem asa.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

O meu amor é lindo.



Com aquele sorriso, ele me abre as portas do paraíso.
Olhar tão brilhante quanto a luz das estrelas.
Cabelo liso, levemente ondulado.
Sua pele, um tanto parda. A cor mais linda que já vi.
Aquela barba... Áspera, ao mesmo tempo macia, que me arrepia.

O riso que mistura timidez com simpatia
Lábios que despertam em mim, as melhores sensações
Mãos que me proporcionam os melhores carinhos
Braços que me envolvem, me acalentam
Pernas que junto às minhas, formam nós cegos
Seu corpo me preenche.

Borboletas brincam em minhas entranhas ao esperá-lo
O sorriso fica bobo perto dele
Os olhos vidram, e o coração acelera ao vê-lo
Pernas ficam bambas com sua intensidade
Inexplicável o quanto ele mexe comigo
É algo forte, inigualável, um modo ímpar de ser amada.

Fogo que arde,
vontade que me invade.
Em você encontrei meu equilíbrio,
amor que me provoca e me causa calafrio.
Amo você além da medida,
e creio que é contigo que estarei até o último dia de minha vida.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Quando tudo fica bem.



















Eu vivo, com cautela, mas vivo.
Tenho paranoias. Mas, quem não tem?
Só não posso me deixar ser levada por elas... Na verdade, elas não são paranoias, são armadilhas da mente. Armadilhas que só servem para deteriorar minha paz interior, e me deixar mal.
Eu fiquei à beira de uma armadilha há pouco tempo, mas pensei:
"Pra quê cair? Se isso vai me prender em um mundo triste, repleto de monstros, e para me adaptar a esse mundo, eu teria que me transformar em um monstro também... Eu não preciso disso, e quem convive comigo, não merece isso."

Trabalho corpo, alma e mente.
Crio forças, enfoco meus objetivos, e ando sempre com uma lanterna, para que eu nunca me perca, e fique alerta para que essas armadilhas não me peguem de surpresa... Mas não sou sozinha.
Tenho sorte em ter meu guia, que hoje me segura pela mão, e me mostra o caminho certo a seguir...
Se por um instante lhe solto a mão, e sem querer desvio o caminho, ele logo me conduz, em passos firmes para a direção do bem, da paz... Da nossa felicidade.
Confio em sua eficácia como guia, que me deixo ser levada até de olhos fechados.
Sou grata por tê-lo em meu caminho, me guiando, e em minha vida, me entendendo, e me respeitando em todos os aspectos, sendo meu companheiro, amante, namorado... Sendo o meu tudo, aquele com quem eu compartilho todos os momentos, sejam bons ou ruins.

Não me canso de escrever-lhe, não sei. Algumas pessoas podem achar desespero, outras exagero. Mas eu não, eu sei que não é. Eu sei o que isso é, e como se chama. É amor. Amor real, não surreal. Aquele amor que se sente, não se imagina. Aquele que sim, é recíproco, é lindo, tem obstáculos, mar de rosas, alegrias, tristezas, brigas, reviravoltas, mudanças, bonanças e uma série de outras coisas. Esse sim, é o amor. Não sei o que significa, mas sei o que se sente, e o que se passa quando se ama e é amado. Sei porque foi com ele que eu aprendi tudo isso, mesmo que indiretamente, a força vem de dentro, mas o incentivo vem de fora.

E é por isso, que hoje me sinto menos fraca, e mais forte, muito forte. Saí do mundo de armadilhas, retornei à minha forma, o monstro que em mim existia, quase não existe mais. E como eu posso ter certeza disso? Porque eu me conheço, e percebo os bons ventos que acariciam meu rosto, meu corpo, e refrescam minha alma e coração. É por isso que sei.

As mudanças não acontecem da noite pro dia. Mas aos poucos, eu já me sinto nova, renovada, pra cima, com algumas pequenas recaídas, claro, ainda estou em processo, mas nada que o meu amor, o meu guia não me diga as palavras certas, e me conduza de mãos dadas firmemente para um caminho melhor.

domingo, 28 de outubro de 2012

Em você, meu interior.




Pedi uma paz,
me deram você.

Pedi reciprocidade,
me foi dada a paciência.

Pedi uma luz,
me enfocaram holofotes.

Pedi uma solução,
em meus sonhos, tibetanos cumpriram sua missão.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Amorexo.



Vem, fecha essa porta até o click soar.
Deita, por cima de mim, me faz delirar.
Abocanha meus seios, o meu íntimo.
Deste corpo que é teu, fidelíssimo.

Quero teu sabor doce em minha língua.
Matar minha sede sem míngua.
Vem completar o vazio que trago em mim.
Alcançar paraísos enfim.

Sua perna trêmula, 
entrelaçada com a minha.
Tudo espalhado pelo chão, 
blusas, bermuda, cueca, calcinha.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Sou fogo.



Estou me sentido uma fera.
Instinto selvagem,
um animal no cio.

Me sinto insaciável,
uma necessidade do teu gosto,
do teu corpo,
do teu sabor.

Pele quente,
queimo por dentro,
derreto por fora,
suor que me molha.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Vida Utópica



Estar de bem com a vida,
é com ela não se preocupar,
admirando o Sol que está a brilhar.
É andar descalço,
sem perder o compasso.
É sentir as gotas de orvalho,
fazendo da grama, seu agasalho.
Fugir de toda rotina,
e quem sabe, escalar aquela colina?
É sonhar magia,
e acordar alegria.
É viver por amor,
e do seu destino,
ser o autor.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Meu nome é amor.


Te amar,
quando o sol raiar.

Pensar em teu amor,
até o sol se pôr.

E quando a lua surgir,
para os meus sonhos, irei te conduzir.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Dengo gostosinho.

















Você é meu chamego.
E se você me olha?
Eu já me chego.
É meu pedacinho de pecado,
amor concreto e alucinado.

Exala carinho,
e com teu jeito mansinho,
me ganha de pouquinho em pouquinho.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Nossas Quatro Estações - Inverno


E quando o primeiro verde surgiu em um de seus galhos, o inverno invadiu minha cidade...
A tempestade veio devastadora, com toda sua força, destruiu minha casa, meu abrigo, meu aconchego e te arrancou do meu quintal!
Eu fiquei desamparada, sem meu conforto, sem cama para dormir, e sem tua sombra, que me protegia de todo o mal.

Nossas Quatro Estações - Outono


O outono chegou, e a situação começou a mudar, você se tornou uma árvore diferente, suas folhas tinham diversas cores, algumas até caíam, mas eu continuei ali, do seu lado, acreditando no verde que em breve poderia reaparecer em seus galhos.

Nossas Quatro Estações - Primavera


Nossos beijos eram que nem a primavera, exalavam o mais doce perfume das flores, e as cores ficavam mais intensas a cada toque.

Nossas Quatro Estações - Verão


Era um dia de Sol, eu te encontrei e em pouco tempo, você se tornou meu astro-rei.
A brisa aliviava o calor que você me causava, e as nuvens serviam de colchões para nossos encontros mais íntimos.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Madrugada.


Um dia,
minha boca será o que a tua precisa,
minha voz será aquilo que você vai querer ouvir ao despertar,
meu corpo quente será o que vai te fazer falta no inverno,
meus dedos serão as únicas armas para um bom cafuné,
meu olhar será o seu único farol,
e o meu coração, o seu único lar seguro.

Uma noite, um sono, um sonho.

Possível asseveração.


















Eu não exponho o meu amor por estar sofrendo!
Falo porque sinto,
porque te amo em meu íntimo!
E tenho medo de te perder,
por mais que a mim você nunca venha pertencer.

Carne viva.
















Quanto mais detalhes sentimentais,
menos valorização.
Quanto mais amor,
menos reciprocidade.

São ideias opostas, todos sabem!
Mas quem sabe,
insiste em fingir que é leigo no assunto.

Afinal, pra amar, não precisa saber.
Muito menos analisar...
É preciso sentir.
Apenas sentir.

Devaneios apaixonados.

















Você é meu namorado,
é o calor que me esquenta nas noites frias, o frio que me invade quando estamos longe um do outro, a mão que me levanta quando eu estou no chão, o beijo que me arrepia, o corpo que me envolve...
Você é a minha fantasia,
é o meu sonho, o meu desejo, o meu pensamento, é o amor, que eu tanto quero pra mim.

E a minha imaginação fértil?
Me permite que eu te imagine da forma que eu tanto quero.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Reações.


Nós, românticos,
sofremos porque doamos coisas boas ao outro,
e não recebemos de volta.

Com a falta,
ficamos com o que há de ruim.

Mas somos felizes,
porque sabemos valorizar o amor.
Este, que é grato,
vai nos recompensar com um alguém,
aquele alguém,
que estava esperando,
apenas,
por você.

Justaposição.















Cor,
pra te pintar,
pra te bordar!

Ação,
pra fazer acontecer,
pra te absorver!

Coração,
pra bater,
pra pulsar,
involuntariamente,
por você.

Deixo pra ti.


Quando demais,
faz mal, é veneno!
Quando de menos,
faz falta, dá saudade!
Quando na medida certa,
ninguém valoriza, finge que nem vê.

O que fazer com você,
meu companheiro de longa data?
O que fazer com você,
que me proporciona o mais lindo pôr-so-sol,
e o luar mais apaixonante?

Amor, o que fazer com você, amor?

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Inesperadamente, aconteceu.






















Nem a paixão, muito menos o amor, batem em sua porta antes de entrar.
Eles entram de mansinho, sorrateiros!
Não adianta trancar a porta,
eles entram pela janela, pelo telhado...
Por onde der!
Se a entrada for pequena?
Ele se divide...
Entra aos poucos.
E quando damos conta, já estamos assim,
apaixonados, e dependentes desse amor.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Sua vinda, minha mudança.


Precisei da tristeza,
para valorizar a felicidade.
Da decepção,
para amadurecer.
Das lágrimas,
para sorrir.
Da dor,
para me tornar forte.
Precisei da solidão,
para perceber que preciso de alguém.

Mas eu...
Eu te encontrei!
E venho te dizer que,
depois de me fechar em meu mundo,
me dei conta de que,
eu preciso de você,
que sou feliz ao seu lado,
que amadureci para a vida,
que sorrio só em te ver,
e que eu,
só aprendi a ser forte assim,
com você.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Dispersos.


Quanto mais você se afasta,
mais meu coração se aproxima.

E não adianta mergulhar-se em mim,
porque eu vou saber me adaptar a tamanha intensidade.

Mas se me queres longe,
terás que me magoar!

Não que eu goste de sofrer,
é que eu tenho aversão àquilo que me faz mal.

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Conselho de um sonhador.















Vamos deixar as ilusões, as suposições de lado. E de uma vez por todas, aceitar a realidade.
Pelo menos a verdade é mais fácil de aceitar do que uma mentira, principalmente quando essa mentira fora inventada por nós mesmos: a velha expectativa sem fundamento.
Invista sua expectativa em coisas que são recíprocas, e não em coisas impossíveis. Você deve estar pensando: "Ah, mas eu tenho o direito de sonhar como tudo poderia ser!"
E eu te digo: você deve sonhar, meu caro. E não viver em seus sonhos. Aprenda a discernir o sonho da realidade.
Se fizeres tudo isso, uma coisa eu garanto: o sofrimento será menor, bem menos doloroso, e mais cabível ao nosso coração.

domingo, 29 de janeiro de 2012

O amor em carne e coração.


Quando eu parar de ser otimista
de me apaixonar perdidamente,
de me arriscar,
de viver pro amor,
de respirar saudade,
de suspirar lembranças,
de mergulhar de cabeça nos relacionamentos,
e de acreditar que aquela pessoa que conheci ontem pode ser o amor da minha vida...

Meu coração cessará seus batimentos.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Contentamento em meu âmago














Parar, lembrar, suspirar,
sentir sua presença mesmo ausente.
Isso me faz te adorar
e te desejar constantemente.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Precipitações.


Ei, coração!
Vê se te acalma.
Eu estou em fase de adaptação.
Não quero me envolver com coisas da alma.
Na verdade até quero,
Mas... Ele não quer se envolver!
Sendo assim, eu o espero.
Mesmo que a chama dessa paixão só venha a crescer.

sábado, 14 de janeiro de 2012

Vida nova, vida.

















É questão de inspiração,
são coisas do coração!
Preciso disto,
por isso invisto.

Estou disposta a me arriscar,
sem ter o que almejar.

Palavras finais.


Aqui estou,
com o pouco de vida que me sobrou
eu não merecia isso,
com você, mantive um compromisso.
pois fui eu quem mais te amou.

Já eu, me encontro feliz.
tudo está do jeito que eu sempre quis,
o seu estado jamais me interessou.
ainda bem que você passou,
e não deixou nenhuma cicatriz.

Tudo bem, isso já era de se esperar
mas eu não quero que você seja infeliz,
pois eu te amo, e não sou nenhuma atriz!
sou uma eterna aprendiz,
que guardou na memória o verdadeiro significado de amar.