quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Madrugada.


Um dia,
minha boca será o que a tua precisa,
minha voz será aquilo que você vai querer ouvir ao despertar,
meu corpo quente será o que vai te fazer falta no inverno,
meus dedos serão as únicas armas para um bom cafuné,
meu olhar será o seu único farol,
e o meu coração, o seu único lar seguro.

Uma noite, um sono, um sonho.

Possível asseveração.


















Eu não exponho o meu amor por estar sofrendo!
Falo porque sinto,
porque te amo em meu íntimo!
E tenho medo de te perder,
por mais que a mim você nunca venha pertencer.

Carne viva.
















Quanto mais detalhes sentimentais,
menos valorização.
Quanto mais amor,
menos reciprocidade.

São ideias opostas, todos sabem!
Mas quem sabe,
insiste em fingir que é leigo no assunto.

Afinal, pra amar, não precisa saber.
Muito menos analisar...
É preciso sentir.
Apenas sentir.

Devaneios apaixonados.

















Você é meu namorado,
é o calor que me esquenta nas noites frias, o frio que me invade quando estamos longe um do outro, a mão que me levanta quando eu estou no chão, o beijo que me arrepia, o corpo que me envolve...
Você é a minha fantasia,
é o meu sonho, o meu desejo, o meu pensamento, é o amor, que eu tanto quero pra mim.

E a minha imaginação fértil?
Me permite que eu te imagine da forma que eu tanto quero.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Reações.


Nós, românticos,
sofremos porque doamos coisas boas ao outro,
e não recebemos de volta.

Com a falta,
ficamos com o que há de ruim.

Mas somos felizes,
porque sabemos valorizar o amor.
Este, que é grato,
vai nos recompensar com um alguém,
aquele alguém,
que estava esperando,
apenas,
por você.

Justaposição.















Cor,
pra te pintar,
pra te bordar!

Ação,
pra fazer acontecer,
pra te absorver!

Coração,
pra bater,
pra pulsar,
involuntariamente,
por você.

Deixo pra ti.


Quando demais,
faz mal, é veneno!
Quando de menos,
faz falta, dá saudade!
Quando na medida certa,
ninguém valoriza, finge que nem vê.

O que fazer com você,
meu companheiro de longa data?
O que fazer com você,
que me proporciona o mais lindo pôr-so-sol,
e o luar mais apaixonante?

Amor, o que fazer com você, amor?

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Inesperadamente, aconteceu.






















Nem a paixão, muito menos o amor, batem em sua porta antes de entrar.
Eles entram de mansinho, sorrateiros!
Não adianta trancar a porta,
eles entram pela janela, pelo telhado...
Por onde der!
Se a entrada for pequena?
Ele se divide...
Entra aos poucos.
E quando damos conta, já estamos assim,
apaixonados, e dependentes desse amor.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Sua vinda, minha mudança.


Precisei da tristeza,
para valorizar a felicidade.
Da decepção,
para amadurecer.
Das lágrimas,
para sorrir.
Da dor,
para me tornar forte.
Precisei da solidão,
para perceber que preciso de alguém.

Mas eu...
Eu te encontrei!
E venho te dizer que,
depois de me fechar em meu mundo,
me dei conta de que,
eu preciso de você,
que sou feliz ao seu lado,
que amadureci para a vida,
que sorrio só em te ver,
e que eu,
só aprendi a ser forte assim,
com você.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Dispersos.


Quanto mais você se afasta,
mais meu coração se aproxima.

E não adianta mergulhar-se em mim,
porque eu vou saber me adaptar a tamanha intensidade.

Mas se me queres longe,
terás que me magoar!

Não que eu goste de sofrer,
é que eu tenho aversão àquilo que me faz mal.