terça-feira, 23 de outubro de 2012

Amorexo.



Vem, fecha essa porta até o click soar.
Deita, por cima de mim, me faz delirar.
Abocanha meus seios, o meu íntimo.
Deste corpo que é teu, fidelíssimo.

Quero teu sabor doce em minha língua.
Matar minha sede sem míngua.
Vem completar o vazio que trago em mim.
Alcançar paraísos enfim.

Sua perna trêmula, 
entrelaçada com a minha.
Tudo espalhado pelo chão, 
blusas, bermuda, cueca, calcinha.