segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Quando tudo fica bem.



















Eu vivo, com cautela, mas vivo.
Tenho paranoias. Mas, quem não tem?
Só não posso me deixar ser levada por elas... Na verdade, elas não são paranoias, são armadilhas da mente. Armadilhas que só servem para deteriorar minha paz interior, e me deixar mal.
Eu fiquei à beira de uma armadilha há pouco tempo, mas pensei:
"Pra quê cair? Se isso vai me prender em um mundo triste, repleto de monstros, e para me adaptar a esse mundo, eu teria que me transformar em um monstro também... Eu não preciso disso, e quem convive comigo, não merece isso."

Trabalho corpo, alma e mente.
Crio forças, enfoco meus objetivos, e ando sempre com uma lanterna, para que eu nunca me perca, e fique alerta para que essas armadilhas não me peguem de surpresa... Mas não sou sozinha.
Tenho sorte em ter meu guia, que hoje me segura pela mão, e me mostra o caminho certo a seguir...
Se por um instante lhe solto a mão, e sem querer desvio o caminho, ele logo me conduz, em passos firmes para a direção do bem, da paz... Da nossa felicidade.
Confio em sua eficácia como guia, que me deixo ser levada até de olhos fechados.
Sou grata por tê-lo em meu caminho, me guiando, e em minha vida, me entendendo, e me respeitando em todos os aspectos, sendo meu companheiro, amante, namorado... Sendo o meu tudo, aquele com quem eu compartilho todos os momentos, sejam bons ou ruins.

Não me canso de escrever-lhe, não sei. Algumas pessoas podem achar desespero, outras exagero. Mas eu não, eu sei que não é. Eu sei o que isso é, e como se chama. É amor. Amor real, não surreal. Aquele amor que se sente, não se imagina. Aquele que sim, é recíproco, é lindo, tem obstáculos, mar de rosas, alegrias, tristezas, brigas, reviravoltas, mudanças, bonanças e uma série de outras coisas. Esse sim, é o amor. Não sei o que significa, mas sei o que se sente, e o que se passa quando se ama e é amado. Sei porque foi com ele que eu aprendi tudo isso, mesmo que indiretamente, a força vem de dentro, mas o incentivo vem de fora.

E é por isso, que hoje me sinto menos fraca, e mais forte, muito forte. Saí do mundo de armadilhas, retornei à minha forma, o monstro que em mim existia, quase não existe mais. E como eu posso ter certeza disso? Porque eu me conheço, e percebo os bons ventos que acariciam meu rosto, meu corpo, e refrescam minha alma e coração. É por isso que sei.

As mudanças não acontecem da noite pro dia. Mas aos poucos, eu já me sinto nova, renovada, pra cima, com algumas pequenas recaídas, claro, ainda estou em processo, mas nada que o meu amor, o meu guia não me diga as palavras certas, e me conduza de mãos dadas firmemente para um caminho melhor.

2 comentários:

Ruan Felipe disse...

Obrigado amor, te amoo abestadamente :p

Fabrícia disse...

Por nada meu amor s2
Somos dois abestados de amor! rs *-*